7 de novembro de 2006

NA PONTA DO PINDA EM 76





Ponta do Pinda (Tonbwa - Angola)






Em setenta e seis
da Ponta do Pinda
atiraram homens ao mar.
Ninguém viu...
e os deuses, viram?


Em setenta e seis
atiraram da falésia abaixo
os homens para o mar.
Eram seis horas da tarde
se a hora for importante...


Em setenta e seis
os karkamanos
atiraram homens atados
de mãos e pés
da Ponta do Pinda abaixo
para o mar.


Pergumtem às ondas da falésia
onde o mar bate no grés
é lá que existem cazumbis
procurando ainda em vão
se libertarem das amarras
no fundo da falésia
da Ponta do Pinda








Namibiano Ferreira

3 comentários:

Maria Muadié disse...

Sinto saudade de sua poesia.
Martha

Decio Bettencourt Mateus disse...

Essas coisas mano, essas coisas lidas assim em momento de nostalgia e isolamento. Essas coisas dos homens atirados, perguntas as ondas da falesia, os karkamanos (agora sao amigos), os deuses. Essas coisas dos cazumbis, convidam as lagrimas a saltarem o muro dos olhos

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Parece que já foi há tanto tempo... mas nós sabemos que na nossa memória estas coisas sao difíceis de esquecer...