17 de outubro de 2007

EU SOU



A guerra sou eu
e os que sendo soldados
desertaram…

A violência sou eu
e os que sendo violentos
amansaram…

A injustiça sou eu
e os que sendo cegos
enxergaram…

A cobiça sou eu
e os que cobiçando
se ofertaram…

A fome sou eu
e os que sendo famintos
comeram…

O poder sou eu
e os que sendo poderosos
enfraqueceram…

A prepotência sou eu
e os que sendo prepotentes
se humilharam…

A vida sou eu
e os que estando vivos
viveram…

A morte sou eu
e os que estando mortos
ressuscitaram…


Amélia Veiga (Angola)

1 comentário:

Tallu Fernandes disse...

A sua poesia foi comovente para mim. Meu coração ficou entorpecido. Mas como não ficaria?